Vem aí... Concurso literário “Zezé Macedo”

Zezé Macedo autografando seus livros,
ilustração de Camila Giudice feita especialmente
para o Concurso Literário "Zezé Macedo" idealizado e
com curadoria do Coletivo São Paulo de Literatura


O concurso é um projeto do Coletivo São Paulo de Literatura e faz uma homenagem à atriz, comediante e poetisa Zezé Macedo (1910 - 1999).

Muitas pessoas se recordarão de Zezé: na década de 1990 ela fazia parte do elenco de alunos da Escolinha do Professor Raimundo, da TV Globo, interpretava a pudica Dona Bela, que dizia: “Ele só pensa naquilo!”.

Uma outra face de Zezé Macedo foi a poesia. Escrevia poemas desde os 12 anos. 

Natural de Silva Jardim, interior do Rio de Janeiro, a menina nasceu em uma família abastada e teve pais amorosos.

Columbano Santos, pai adotivo de Zezé, era poeta e incentivador do teatro amador na cidade. Chegou a contruir um teatrinho para os atores encenarem peças, algumas escritas pelo próprio Columbano.

Zezé desejava ser atriz dramática, mas o destino quis que ela fosse uma cômica. Participou de mais de 100 filmes nacionais, também fez rádio, televisão, teatro e shows por todo o Brasil.

Passou por muitas dificuldades na vida e algumas tragédias pessoais, com muita força e apoio familiar, conseguiu superar todos os problemas. Durante toda sua vida, a poesia foi uma constante e escreveu centenas de poemas, uma parte foi publicada em livros, outros apresentados em programas radiofônicos, e ainda existe uma boa soma de poemas inéditos.

Em 1953 lançou a primeira obra, "Coração Profano", sendo um sucesso. Depois vieram: "Uma Estrela Caiu", "Meu Breviário" (1981), "A menina do Gato" (1997) e "Estrelas Azuis" (1997).


O Concurso

O evento será virtual e sem fins lucrativos.

Os dois gêneros contemplados serão: a poesia e o microconto. 

O primeiro tema será SUPERAÇÃO, inspirado na trajetória de Zezé Macedo e também refletindo o período que estamos vivenciando com a pandemia do Covid-19. 

O segundo assunto será ANIMAIS, pois Zezé era apaixonada por bichos, principalmente por gatos. Costumava adotar gatos vira-latas, foi sócia e benemérita da Sociedade União Internacional Protetora dos Animais, SUIPA, no Rio de Janeiro. Fez parte da direção e teve um berçário de cães e gatos resgatados das ruas batizado com o seu nome. 

Serão contemplados 10 poemas e 10 microcontos, selecionados por um júri especial.

A premiação consitirá na entrega de certificados aos ganhadores e a publicação graciosa do poema ou conto na revista "Escritores Brasileiros Contemporâneos".

Mais detalhes sobre o certame na próxima edição da revista EBC. Em breve o regulamento será publicado página do Coletivo @spliteratura no Facebook, e no Blog: www.coletivoliteratura.blogspot.com/

Capa do livro A menina do gato, de Zezé Macedo,
lançado em 1997


Comentários