Apresentação de Ana Meira na Bienal Internacional do Livro

 

Bibliotecária, poeta, escritora e mediadora de leitura, 

Ana Meira marcou presença no estante do CRB8

Ana Meira no estande da CRB8
Foto: Ana Paula Meira Lopes

No último domingo, 10 de julho de 2022, aconteceu o encerramento da 26ª edição da  Bienal Internacional do Livro, evento cultural que faz parte do calendário da cidade de São Paulo e que há quatro anos havia sido interrompido por causa da crise intensa provocada pela COVID-19. 

No estande do CRB8 (Conselho Regional da Biblioteconomia da 8a. região) tivemos a participação da bibliotecária e escritora Ana Meira que esteve presente para conversar com o público sobre como a pandemia ajudou-a descobrir-se escritora, bem como realizar mediação de leitura em espaço para além da biblioteca, que corroboraram para um novo olhar sobre  possibilidade de realizar atividades  para formato digitais nas redes sociais. 

Meira abriu o evento com a poesia Ser girassol de Thaís Matarazzo. A seguir, comentou sobre suas publicações realizadas na revista Escritores Brasileiras Contemporâneas e no livro de antologias Poesias Contemporâneas XIII

Durante o bate-papo falou sobre o conceito “escrevivência” defendido pela pesquisadora e escritora Conceição Evaristo, por entender que seu processo de escrita perpassa pelo conceito defendido pela autora. 

A escritora apresentou ao público a crônica Prazer e Sedução, sendo aplaudida pelos presentes, e também leu o  poema Flores no Jardim, ambas produções de sua autoria. A propostas das leituras foi uma ponte de partida  para introduzir o tema  sobre mediação de leitura, bem como a diferença de realizar esta atividade em detrimento da contação de histórias. A bibliotecária ressaltou que ambas têm a finalidades de promover o livro e o incentivo a leitura. 

Ana Meira e Regina Garcia. Ela ganhou no sorteio de um dos livros
da escritora Thais Matarazzo.
Foto: Ana Paula Lopes Meira

As obras publicadas pela Editora Matarazzo, A menina Eunice de Thais Matarazzo e Uma cachorrinha chamada lindinha da autora Eunice Coppi, foram citadas dentre outras para exemplificar atividades relacionadas com a  mediação leitura/mediação cultural. 

Neste dia, infelizmente não foi possível a participação especial da editora, jornalista e escritora Thais Matarazzo para falar sobre a história da Editora Matarazzo e surgimento do Coletivo São Paulo de Literatura, pois a mesma estava com covid-19 nesta data. 

Ao término na apresentação Ana Meira aconteceu um sorteio dos livros da editora para o público presente.

Ana Meira e Stefany, que ganhou um exemplar
de "Poesias Contemporâneas XIII". 
Foto: Ana Paula Lopes Meira


Capas das antologias poéticas da Editora Matarazzo

Comentários